Casal que divide tarefas domésticas tem melhor vida sexual, afirma estudo



Já se foi o tempo em que o lugar da mulher era esquentando a barriga no fogão e a esfriando no tanque – o que, bem na real, jamais deveria ter sido uma “regra”. Hoje em dia, os estudos de igualdade de gênero mostram diversos benefícios de mulheres e homens ocupando as mesmíssimas posições sociais.

Um dos mais recentes deles promete lançar ainda mais lenha nessa fogueira e provocar principalmente aqueles homens que pensam apenas com a cabeça “de baixo”: de acordo com pesquisadores da Universidade de Alberta, no Canadá, os casais que dividem igualmente as tarefas domésticas possuem uma vida sexual muito mais ativa e saudável.

A pesquisa foi comandada pelo professor Matt Johnson, que ministra a disciplina de ecologia da família. Durante cinco anos, ele estudou os hábitos sexuais de 1.338 casais da Alemanha. “Em qualquer relacionamento, a quantidade de trabalho doméstico vai significar algo diferente com base no contexto do casal”, explica Johnson.



A conclusão de que a divisão de tarefas não afeta negativamente a vida sexual do casal – pelo contrário, a deixa ainda mais ativa – vai de encontro a uma pesquisa de 2012 feita com casais norte-americanos. Comandado pela American Sociological Review, esse estudo ditava que os casais faziam menos sexo quando o homem executava tarefas consideradas femininas, como lavar, passar e cozinhar.

“Esse estudo não condizia com a verdade”, sentencia Johnson. Ele acredita que possam existir diferenças culturais entre os EUA e a Alemanha, porém, como os alemães são mais conservadores, era de se esperar que o resultado de sua pesquisa pudesse ser semelhante à anterior, o que não se concretizou. FONTE